Habitação Social no DF

2o. Lugar – Concurso para a CODHAB: Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal

Para atender às necessidades de moradores em situação de risco social em uma região periférica de Brasília-DF, propusemos a criação de ambientes que promovessem o resgate do senso de habitar, a sustentabilidade social e ambiental, a identidade e a privacidade.

A implantação das residências nos lotes foi pensada de forma que fosse possível a configuração de uma rede de espaços semi-públicos capazes de incentivar encontros e permanências da comunidade, fortalecer os laços afetivos e o sentimento de pertença.

As expansões nos térreos têm um enorme potencial para o desenvolvimento de atividades comerciais, corroborando para a geração de emprego e renda e para a vivacidade urbana.

O partido é definido por um conjunto racional de módulos que se articulam entre si criando vazios, por subtração e adição, facilitando a apropriação de usos não previstos pelo programa, expansões e customizações inerentes à construção da identidade das comunidades.

As lajes de coberta foram pensadas planas e impermeabilizadas para criar o solo subtraído das edificações sobrepostas e oferecer possibilidades de espaços de usos propícios ao lazer e a sociabilidade.

A demarcação dos acessos e os espaços de transição arborizados no afastamento frontal do lote criam gradientes de privacidade entre a rua e a entrada das unidades habitacionais.

A construção do edifício em alvenaria estrutural envolve uma paleta básica de materiais como bloco de concreto e as lajes treliçadas aparentes que dispensam aparatos tecnológicos, escoras e acabamentos sofisticados, o que barateia os custos, reduz os desperdícios e facilita o processo de ampliação pós ocupação.

As lajes planas das coberturas também exercem um importante papel na captação das águas pluviais, direcionando-as para um reservatório de armazenamento para reuso na lavagem de pisos, manutenção de jardins e rega de hortas. A captação da chuva associado ao solo permeável reduz significativamente o lançamento de águas sobre as vias e contribui para minimizar os alagamentos urbanos.

Por se tratar de unidades habitacionais que serão replicadas em diferentes áreas, inicialmente no DF e posteriormente em todo o Brasil, a proposta foi criar um objeto que otimize o conforto térmico da edificação em diferentes implantações.

Para isso, partimos da solução espacial de colocar todos os quartos com abertura para uma mesma direção, maximizando a potencialidade de proteção solar e circulação de ventos em diferentes implantações.

Ficha técnica

Autores: Oliveira Júnior, Thálita Zavaski, Renata Caiaffo, Giuseppe Branquinho, Bruna Pontes, Thyago Ramon, Raphael Albuquerque Colaboradores: Lau Pedrosa Filho, João Tatrai, Emmanuel Dantas, Liana Correa, Riccelly LacerdaConsultor: Jean Fechine Ano do projeto: 2017 Localização: Brasília-DF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir